Bandeira Científica

O QUE FAZEMOS

Trinta anos depois, em 1998, um grupo de estudantes da FMUSP encontrou arquivos referentes ao Projeto e decidiu se organizar para reativá-lo, passando à configuração de Projeto de Extensão Universitária da USP.

Experiências anteriores


1998 - Cajati (SP)

Com a retomada do projeto, 23 estudantes de medicina da FMUSP realizaram a expedição para Cajati, São Paulo. Nesse ano, o enfoque foi dado para as áreas de ensino e pesquisa, como realizado no projeto inicial. Não foram realizados atendimentos à população.

Palestras Educativas 70

Exames parasitológicos de fezes 293

1999 - Eldorado (SP)

Com um número crescente de participantes (39), a Bandeira Científica foi para Eldorado, São Paulo, no Vale do Ribeira. Nesse ano, foi introduzida a vertente assistencial ao Projeto, sendo realizados 700 atendimentos, já com a preocupação de formar parcerias com o Sistema de Saúde local para garantir o acompanhamento dos pacientes.

Atendimentos 700

Palestras 10

 

2000 - Monte Negro (RO)

A expedição foi para Monte Negro, Rondônia. Esta foi a primeira vez fora do estado de São Paulo, desde a retomada do Projeto. Para garantir a continuidade da intervenção realizada, foi criado o Instituto de Ciências Biomédicas 5 (as 4 outras unidades do Instituto se localizam no campus de São Paulo da USP), responsável por atendimentos médicos de acordo com o Programa Saúde da Família local. Ainda em 2000, o Projeto Bandeira Científica recebeu o Prêmio Saúde Brasil, concurso nacional para estudantes universitários de Medicina sobre trabalhos socialmente responsáveis.

Atendimentos 1.217

Exames de Papanicolau 287

Exames de Gota Espessa 51

Vacinações 423

Exames parasitológicos de fezes 148

 

 

2001 - Buriticupu (MA)

O número de atividades de educação e pesquisa, bem como o número de atendimentos, foram duplicados na expedição para Buriticupu, Maranhão (4.040 e 3.428, respectivamente). A parceria com a Universidade Federal do Maranhão mostrou-se bastante efetiva, com a criação de um estágio de internato rural no local, coordenado pelo Núcleo de Medicina Tropical da Universidade. Ainda hoje a população atendida pelo Projeto Bandeira Científica é acompanhada pelos estudantes.

Atendimentos 3.428

Exames de Papanicolau 219

Amostras Sanguíneas 340

Biópsias 46

Palestras 7

 

 

2002 - Serra dos Aimorés (MG)

A cidade escolhida foi Serra dos Aimorés, Minas Gerais. O curso de Fisioterapia da Universidade de São Paulo foi incorporado ao Projeto Bandeira Científica e foram realizadas as primeiras Visitas Domiciliares, voltadas para o atendimento de pessoas com dificuldade de locomoção. Além das atividades normalmente exercidas, o Projeto foi responsável pela estruturação do atendimento hospitalar da cidade.

Atendimentos 2.321

Visitas Domiciliares 420

Parasitológicos de fezes 348

 

2003 - Presidente Epitácio (SP)

De volta ao estado de São Paulo, desta vez no município de Presidente Epitácio, a preocupação da expedição foi a de garantir não só o acompanhamento a nível primário, mas o encaminhamento para o Hospital de Presidente Prudente de pacientes que necessitavam de atendimento a nível secundário.

Atendimentos 2.507

Exames de Papanicolau 113

Parasitológicos de fezes 42

Encaminhamentos para nível secundário 173

        

 

2004 - Teotônio Vilela e São José de Tapera (AL)

Pela primeira vez, o Projeto atendeu a duas cidades simultaneamente: Teotônio Vilela e São José da Tapera, em Alagoas. Apesar da distância entre elas, os resultados foram muito positivos: a parceria com diversas esferas do poder público e com a Universidade Federal de Alagoas garantiu a entrega de exames realizados durante a expedição, de doações à Secretaria da Saúde local, além de encaminhamentos para níveis de atenção mais especializados.

Atendimentos 4.168

Atendimentos Oftalmológicos 1.490

Exames Gerais 416

 

 

2005 - João Câmara, Jandaíra e Bento Fernandes (RN)

Neste ano a Universidade Federal do Rio Grande do Norte, mostrou-se efetiva no sentido de garantir a continuidade das ações. Também em 2005, o Projeto foi tema do documentário Bandeira Científica da TV USP, agraciado com a Menção Honrosa do Júri Oficial na categoria TV Universitária durante o 12º Gramado Cine Vídeo.

Atendimentos 3.586

Atendimentos Oftalmológicos 1.012

Exames de Papanicolau 252

Eletrocardiograma 130

Ultrassonografias 360

Avaliações Nutricionais 504

 

2006 - Machadinho d'Oeste (RO)

A expedição para Machadinho d’ Oeste, Rondônia, contou com a participação de diversas novas unidades da USP: Odontologia, Psicologia, Escola Politécnica e Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, sendo as três últimas áreas técnico-estruturais, que ficaram responsáveis por estudos relacionados a saneamento, agricultura e pecuária e avaliação social da região. Foram feitas parcerias com a Universidade Federal de Rondônia e a Faculdade São Lucas.

Atendimentos 5.590

Atendimentos Oftalmológicos 1.391

Atendimentos Fisioterápicos 442

Atendimentos Nutricionais 359

Atendimentos Odontológicos 419

Atendimentos pela Terapia Ocupacional 29

Ultrassonografias 132

Hemogramas 107

Exames parasitológicos de fezes 09

Exames de soroprevalência 403

Eletrocardiogramas 185

Exames de Papanicolau 186

Palestras Educativas 51

Entrevistas/Avaliações 63

2007 - Penalva (MA)

A entrada do curso de Jornalismo da Escola de Comunicação e Arte na expedição realizada para Penalva, Maranhão, garantiu o início da documentação das atividades desenvolvidas pelo Projeto e da realidade observada na cidade, além da divulgação do projeto por meio de reportagens e vídeos. Após 11 anos de existência, a experiência adquirida garantiu a evolução e o amadurecimento do Projeto, tornando-o mais abrangente e completo, com atenção voltada para a multidisciplinaridade e para o bem estar biopsicossocial.

Atendimentos 7.021

Atendimentos Médicos 4.293

Atendimentos Odontológicos 818

Atendimentos pela Enfermagem 77

Atendimentos Fisioterápicos 523

Atendimentos Nutricionais 458

Atendimentos pela Terapia Ocupacional 140

Atendimentos pela Fonoaudiologia 156

Audiometrias 115

Exames de Papanicolau 154

Ultrassonografias 148

Eletrocardiogramas 55

Glicemias de ponta de dedo 476

Próteses dentárias 24

Visitas Domiciliares 35

Palestras Educativas 82

Oficinas 62

2008 - Itaobim (MG)

Inicialmente o Projeto aconteceria na região sul do país, mas devido a problemas na negociação, os organizadores tiveram que selecionar uma nova cidade faltando um mês e meio para a expedição. Isso não impediu o sucesso desta, na qual houve uma integração ainda maior entre as áreas participantes. A cidade que recebeu o Projeto foi Itaobim, Minas Gerais, conhecida como a “cidade da manga”. Para garantir a continuidade das ações, foi firmada parceria com a Universidade Federal de Minas Gerais.

Atendimentos Médicos 5.733

Exames 1.053

Óculos 531

Próteses dentárias 26

2009 - Ivinhema (MS)

A expedição foi para Ivinhema, Mato Grosso do Sul. Houve a participação do curso de Fonoaudiologia da USP. Além disso, foi feita a parceria com a Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS). Inspirados pelo projeto Bandeira Científica, os alunos da universidade parceira implantaram, em 2010, o projeto “UFMS Sem Fronteiras” para garantir o acompanhamento da região de Ivinhema, além de procurar novas regiões de atuação. Em 2009 o Projeto Bandeira Científica recebeu do Ministério de Ciência e Tecnologia e do Instituto de Cidadania Brasil o Prêmio Cidadania Sem Fronteiras, pelo trabalho realizado a favor da educação e cidadania ao longo dos anos.

Atendimentos 5.615

Exames 2.312

Óculos 610

Próteses dentárias 40

 

 

2010 – Inhambupe (BA)

No ano de 2010, o projeto teve atuação no município de Inhambupe (BA), onde foram realizadas 7650 atividades incluindo mais de 6000 pessoas. Destacam-se também nesta expedição os 1637 exames realizados no período incluindo eletrocardiogramas, ultrassonografias, citologias oncótivas cérvico-vaginais e exames bioquímicos de sangue. Foram doados 710 óculos

O projeto ao longo destes últimos treze anos evoluiu notoriamente, expandindo sua capacidade de atuação, buscando ativamente e atingindo resultados cada vez mais satisfatórios. A incorporação de experiências adquiridas, a correção de algumas distorções evidenciadas na prática, o apoio de grupos familiarizados com experiências de extensão universitária e a constante busca por inovações proporcionaram importante avanço, tornando o projeto mais abrangente e completo.

 

 

2011 – Belterra (PA)

Em Belterra foram realizados o levantamento de mais de 2646 perfis epidemiológicos. Além disso, nessa expedição também foram confeccionados e doados para a população 556 óculos e 42 próteses dentárias para 21 pacientes. O projeto ao longo destes últimos treze anos evoluiu notoriamente, expandindo sua capacidade de atuação, buscando ativamente e atingindo resultados cada vez mais satisfatórios. A incorporação de experiências adquiridas, a correção de algumas distorções evidenciadas na prática, o apoio de grupos familiarizados com experiências de extensão universitária e a constante busca por inovações proporcionaram importante avanço, tornando o projeto mais abrangente e completo.


2012 – Afogados da Ingazeira (PE)

 

Em Afogados da Ingazeira-PE foram realizados 3889 atendimentos médicos, com diversos tipos de exames: 271 ultrassonografias, 23 eletrocardiogramas, 526 exames de sangue, 4 biópsias e 842 exames de glicemia de ponta de dedo. Além disso, realizou-se doação de 564 óculos para a população. Destaca-se o número de 3071 pessoas que foram impactadas pelos atendimentos oferecidos pelo projeto.

 

 

2013 – Pedra Azul (MG)

 

Com uma equipe de aproximadamente 200 pessoas, realizou 4094 atendimentos ao longo dos oito dias de expedição. Foram doados 513 óculos e 48 próteses totais para a população local, realizou-se 297 ultrassonografias e 7 adaptações de baixo custo. Destaca-se como atividades importantes realizadas em 2013 o sarau cultural que promoveu um contato mais próximo da população e dos bandeirantes, além de um relatório com diretrizes para melhorias no sistema de saneamento básico do município.

 

 

2014 – Ibatiba (ES)

 

Com uma equipe de aproximadamente 180 pessoas, realizou 4793 atendimentos ao longo dos oito dias de expedição. Foram doados 533 óculos e 10 adaptações para a população local. Além disso, realizou-se 181 ultrassonografias e 19 visitas domiciliares. Destaca-se como atividades importantes realizadas em 2014 o sarau cultural que promoveu um contato mais próximo da população e dos bandeirantes, além de um relatório com diretrizes para melhorias no sistema de saneamento básico do município.

 

 

 

Voltar

NOTÍCIAS ASSINAR O FEED

  • SIGA-NOS